"O MIT Tem Somente Uma Cafetaria; Nós Algumas" 1

“O MIT Tem Somente Uma Cafetaria; Nós Algumas”

“O MIT está em Boston, em uma única sede, e nós, por toda a Europa. Você Sabe quantas cafés tem o MIT? Uma. Nós temos muitas e podemos introduzir-nos em nossa cafeteria virtual a começar por todos os pontos da Europa”. Willem Jonker, CEO da EIT Digital, responde com ironia à charada de saber se o Instituto Tecnológico foi pensado pra ser ‘o MIT europeu’. “Uma pessoa deu essa idéia porque, no momento em que começa alguma coisa, algumas vezes é menos difícil esclarecer comparando-a com uma fonte. Eles querem concentrar o talento”. EIT Digital (um ramo nascida do tronco principal da EIT) agora conta com nós em nove cidades europeias, incluindo o recém-inaugurado em Madrid no dia 2 de março. O café não é uma anedota.

Uma peculiaridade do MIT Media Lab (Faculdade emblemática como centro mundial de inovações disruptivas) é seu edifício envidraçado, sem paredes opacas. Torna-Se um eixo de execução social. O contato mais direto pra EIT Digital é a tua conferência anual, praticada esta semana, em Bruxelas. Ocasião para a exposição de suas empresas com negócio à vista, projectos em desenvolvimento (“atividades inovadoras”) e atividades educativas (cursos de mestrado e integração de alunos de doutorado em projetos). Suas 3 linhas de ação. Um exemplo é a corporação espanhola Coowry, com um item agora em análise.

Dá certo pela Ásia (Indonésia, Filipinas e Malásia) e, no México, com uma aplicação para pequenos pagamentos a partir da conta de telefone celular sem cartões de crédito e corporações bancárias. Seu arranque ilustra o paradigma oposto ao paradigma de negócio lugar: a tua primeira actividade desenvolve-se na outra ponta do mundo. Sem demora ele viaja para a inversa: “Estamos trabalhando com a Telefónica, pra sair brevemente em Portugal”, anuncia David Moreno, CEO da ‘scaleup’. O conceito ‘scaleup’ é uma torção ao empreendimento.

a Cada ano pela Europa são montados milhares de startups. A maioria não chegará a nada. Existe um ano, o comissário Oettinger perguntou pela CeBIT, o que eu poderia fazer com ele, para ajudá-las a “subir”. A resposta é Manifesto ScaleUp do dia 29 de setembro, apoiado por instituições e corporações. EIT Digital não acolhe nem ao menos financia organizações recém-nascidas com uma idéia de desenvolvimento.

Pra isso, há uma abundância de incubadoras e mecanismos de financiamento pela Europa. Pesquisa empresas que passaram por este ponto e subiu um degrau, com um objeto em fase de amadurecimento para chegar ao mercado no prazo de um ano. E não lhes fornece dinheiro, no entanto apoio. “Entregá-los a fazer negócios no resto da Europa e nos EUA”, explica Chahab Nastar, chefe de procura e inovação do EIT Digital.

  • 2 Erupções fisurales e planícies de lava
  • “Normalmente, a inspiração divina vem quando mais preto é o horizonte”. Indira Gandhi
  • 8 de dezembro (acúmulo de feriados, dia da Imaculada Conceição)
  • Diversas pessoas estão adquirindo riscos financeiros, sem se conceder conta
  • dois Fontes de poder de mercado do monopolista
  • A Comunidade quer entrar para o dia em I+D+i
  • A Velha Guarda (1895-1925) – I. A Eclosão (1895-1909)

“De um dia pro outro, podemos ir a Munique com uma organização e levá-la com aqueles que irão ajudá-lo. Preparamos pras empresas e, se primordial, a gente tem um escritório onde sentar-se”. Ademais, EIT Digital detém um hub em Silicon Valley, por causa de “para ser completo tem que ter um pé em Estados unidos”, adverte Willem Jonker.

Nastar é quem coordena a seleção destas companhias. “Recebemos cerca de 100 pedidos de cada ano e são aceitos um terço, com critérios muito transparentes”. Precisam ser projetos voltados pro negócio os que lhes pedem “em primeiro local, um objeto projetado e desenvolvido pro usuário, quem e como vai usar, uma coisa que gere desejo.

O segundo, um negócio viável, que possa vir ao mercado com um preço acessível. E o terceiro, que usa uma tecnologia inovadora, porém realizável e segura”. Uma “atividade inovadora” como este é um projecto em que participam no mínimo dois parceiros de países diferentes e, possivelmente, alguma startup, para fazer uma idéia. Quando o projeto está em condições de gerar um protótipo praticável, ou se cria uma empresa a partir de um spin-off do grupo, para vendê-lo, ou assume o ‘campeão’ como respectivo. Trata-Se de fazer a transferência do conhecimento gerado, com resultados no mercado real. EIT Digital tem 150 parceiros pela Europa, incluindo grandes e médias empresas, universidades, centros de pesquisa e entidades públicas. Gere financiamento público (da CE por meio de EIT) e privada.